sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Afinal, o que querem as mulheres?

Hoje enquanto estava esperando para ser atendida na orientação da monografia, fiquei vasculhando alguns aplicativos sobre notícias do meu iPhone, que baixei a poucos dias, mas que ainda não havia explorado o bastante. E procurando algo interessante para ler, abri o brainstorm9 e logo de cara vi o título que deu nome a este post, entre os primeiros tópicos.
Quando vi, imaginei que seria um post repleto de questionamentos, incertezas e muitas críticas, a nós mulheres. Sim, logo nós que sentimos a dor do parto, as cólicas causadas pela menstruação de todo mês, a dor da depilação, de fazer a sobrancelha, estar sempre impecável, entre diversas outras coisas, e TUDO isso, sem descer do salto alto.
Mas quando comecei a ler, percebi que não se tratava necessariamente de críticas ou qualquer coisa do gênero, e sim de um cara chamado Luiz Fernando Carvalho:
"responsável por em quase todo início de ano, dar aquele trato visual, lírico e joiado na telinha de uma Grande Rede de TV Aberta, como no seu último trabalho“Capitu”" (Segundo Brainstorm9).
E sua nova série: "Afinal, o que querem as mulheres?", baseada na pergunta de Freud. Durante um bom tempo, que se estendeu até o presente momento, enquanto escrevo este post, fiquei refletindo sobre o que deve ter levado Freud a se fazer tal questionamento, e se existiu alguma ocasião especial para tal.
E por não ter ficado contente com o que eu li e analisando o questionamento, resolvi dar uma pesquisada no Google e saber quantos resultados de pesquisa eu encontraria a respeito do tema. Pesquisei das seguintes formas: "Afinal, o que querem as mulheres?", onde encontrei em 0,22 segundos 11.400 resultados e "Afinal, o que querem as mulheres?" Freud, onde foram 4.730 resultados em 0,42 segundos.
Com tantos resultados, e com minha curiosidade aguçada, não foi nada dificil clicar em alguns links da pesquisa para saber o que havia na opinião de cada um.
Alguns acham que nem nós mesmas conseguimos nos entender direito, outros que estamos divididas por grupos e subgrupos e tem ainda aqueles que não acham nem uma coisa e nem outra. (E depois, somos nós mulheres que gostamos de complicar!).
Estamos (coloco no plural porque sei que, a maioria de vocês leitoras já ouviu essa frase pelo menos uma vez na vida), acostumadas a ouvir dos homens, como já citei acima, que somos complicadas de se entender, que não sabemos o queremos, e todos aqueles blá blá blá, que sempre acaba com o famoso: "Afinal, o que você quer?" (seja a pergunta feita em sua forma direta ou indireta).
Acho que ambas as partes, muitas vezes gostaria de ter o dom de ler pensamentos, dessa forma, todos saberiam o que se passa na cabeça do outro, e as coisas se tornariam mais fáceis para ambas as partes. Mas já que isso é uma tarefa difícil, e impossível de se realizar, ficamos com o método de sempre: fazer as coisas do jeitinho que homem nenhum resiste, afinal, nós mulheres sabemos e MUITO bem, o que e como fazer para conquistar e ter o que queremos.
E refletindo sobre essa famosa questão de Freud, de tentar entender o que nós mulheres queremos, eu chego a conclusão de que, a grande maioria de nós mulheres, sabe sim o que quer. Só não sabe como, ou não tenha coragem de dizer. Falo por mim, que muitas vezes omito o que realmente quero, para agradar a outra parte, ou simplesmente me calo, por medo da reação do outro, (se bem que só vamos saber o que acontece com a outra parte, se pararmos com essa bobeira e encarar de frente a situação, não é mesmo?)
Daí me questiono: Pra que esconder o quero? Porque esconder? E achar a resposta é fácil:  Insegurança. O mal de grande parte das mulheres.
Não sou especialista em relacionamentos e muito menos em homens, afinal, tive poucos relacionamentos e todos com um curto período de tempo. E se eu for parar pra analisar, acho que todos eles (homens), me fizeram a mesma pergunta em certa altura do campeonato: "Afinal, o que querem as mulheres?" Pode não ter sido necessariamente dessa forma, mas a pergunta existiu.
Hoje eu paro pra pensar, e vejo que eu sei o que quero, sempre soube, e tenho certeza de todas essas coisas.
Quero ter um relacionamento bacana, talvez casar, ter filhos e constituir uma família (digo talvez, porque pra isso acontecer, é necessário que existam dois seres viventes dispostos a ter um relacionamento assim). Quero ter sucesso na minha carreira profissional. Quero me formar e dar continuidade nos estudos. Quero estabilidade financeira. Quero minha família e meus amigos perto de mim. Quero ser feliz acima de tudo. Quero mais tempo para fazer o que gosto e estar com quem eu gosto. Enfim, eu quero muitas coisas, e sei que você, que está lendo esse post, também quer muitas coisas, e sabe o que quer.
É simples entender o que quer uma mulher, não precisa bola de cristal e nem saber ler os pensamentos dela. Basta ver por suas atitudes, pelo modo como ela te trata, pelo modo como ela é. No fundo, a maioria das mulheres querem as mesmas coisas, querem os mesmos ideais e realizações.
Só que vai ser de você homem, querer realmente saber ou não. Afinal, muitas vezes não precisa que a mulher fale com palavras, um gesto, um afeto, fala muito mais. É assim que aprendemos desde cedo, é isso que ouvimos quase todos os dias.


Nenhum comentário:

Postar um comentário